O valor do ter e a desvalorização do ser!

April 4, 2019

Há duas semanas atrás uma amiga comentou comigo o quanto estava feliz por ter retomado a sua terapia com uma psicóloga. E continuou dizendo o quanto todos deveriam ter a oportunidade de experimentar o processo e que fosse de forma contínua, mas que não era possível devido a ser um serviço muito caro. 

 

Esta fala me intrigou demais! 

 

Não é a primeira vez que escuto este tipo de comentário para processos psicológicos e de coaching: “Todos deveriam fazer, mas é muito caro”. 

 

Então venho observando comportamentos e discursos sobre este tema, e o que pude perceber é o quanto ainda estamos na era do ter, ter o carro, ter a casa, ter roupas, ter marcas específicas e para tanto o preço é aceito sem questionamento, nada é caro uma vez que eu leve um produto físico para casa e que este possa ser visto, tateado. 

 

O que é completamente oposto aos processos terapêuticos e de coaching. Estes serviços estão na esfera do SER. Portanto o cliente não leva para casa um produto físico, e sim algo intangível. Leva consigo comportamentos observáveis, mas nem sempre instantaneamente, pois o desenvolvimento do ser inicia-se internamente, sendo sentido pelo próprio cliente para então depois ser observável externamente, e ainda assim o produto é o próprio SER. O ser humano que explicita o seu SER através de seus comportamentos, sejam eles observáveis ou não. 

 

No âmbito do ter, em ambos processos o cliente pode ter, o ter intangível, o não palpável, como ter sua consciência ampliada, ter uma comunicação mais efetiva, ter consciência de suas habilidades, etc. Percebe que nenhum desses exemplos são produtos concretos? E, portanto, na era do ter não têm valor. 

 

A contradição neste ponto que quero ressaltar é que o que mais o ser humano busca é a felicidade, e esta está no ser, e não o ter. Dizemos “eu quero ser feliz” e não “eu quero ter feliz”. Então como a busca mais valiosa para a maior parte da população deste planeta pode não ter valor? Se o ser feliz está no ser, como os serviços voltados para o desenvolvimento do ser podem não ter valor? 

 

Nos processos de coaching e terapêuticos o cliente leva consigo o SER! 

 

SER quem se é!

SER consciente

SER congruente 

SER autêntico

SER único

SER importante

SER livre

SER FELIZ

 

E você em qual momento está, no ser ou ter? Se tiver dúvidas para responder esta pergunta comece respondendo “Quem eu sou?”. 

 

Quais são os produtos e serviços que você valoriza?

 

Quais seus critérios para determinar o que é caro, tem preço justo ou é barato?

 

Quanto você investiria em SER? 

 

Você já pensou o quanto ser é consistente e o ter é passageiro? 

 

Compartilhe sua visão sobre o tema abordado, adoraria conhecer seu ponto de vista! 

 

Tathiana M. Neder

Executive & Career Coach

 

Please reload

Posts Em Destaque

Dicas - Home Office

May 7, 2019

1/5
Please reload

Posts Recentes

June 17, 2019

June 17, 2019

June 4, 2019

Please reload

Arquivo